E-commerce na indústria: entenda vantagens e boas práticas

Nos últimos anos, nos acostumamos a ver um comércio eletrônico muito desenvolvido no varejo. Porém, não é apenas neste setor que as vendas pela internet estão cada vez mais conquistando espaço. O e-commerce na indústria já é uma realidade e ganha corpo e um número maior de adeptos todos os dias, desde grandes companhias até pequenos negócios em busca do sucesso.

Mas o que faz as indústrias se encantarem pelo mercado digital? Principalmente o fato de essas empresas perceberem que o e-commerce oferece a possibilidade de dar um passo além do que costumam dar, ou seja, trilhar um caminho novo, repleto de oportunidades. Elas passam a entender, então, a importância e a necessidade de estarem presentes de forma mais direta nesses canais digitais, negociando por meio deles e criando soluções que atendam às novas demandas de seus clientes.

Vantagens do e-commerce na indústria

Esse novo movimento garante muitas vantagens para a indústria. Uma delas é a autonomia na venda e na distribuição de seus produtos. É possível, portanto, estabelecer suas próprias políticas de penetração no mercado, sejam elas mais agressivas e diretas, sejam mais discretas e contidas ― visando formar apenas mais um canal de venda, sem alimentar muitas pretensão em cima dele.

Atrelado a este fato há outro benefício, que é a proximidade com o público, possibilitada pela criação de um canal direto de comunicação. Em vez de estabelecer contato apenas por meio das revendas, a indústria desenvolve um relacionamento com as pessoas que consomem seus produtos.

Com isso, passa a ter acesso a uma série de informações que antes pertenciam apenas aos revendedores e distribuidores, como perfil dos clientes, comportamento, interesses e, principalmente, as demandas relacionadas aos seus produtos. Tudo isso faz com que a empresa consiga entender melhor seu público, podendo adotar estratégias mais direcionadas e assertivas.

Mais uma importante vantagem que o e-commerce oferece para a indústria é a possibilidade de testar alguns produtos antes de enviá-los, de fato, ao mercado. Colocando primeiro no canal próprio, a empresa pode medir o interesse e a satisfação dos clientes, identificando se há retorno positivo ou negativo.

Além disso, há um controle maior do estoque. Dependendo do retorno dos clientes, a indústria pode lançar produtos ou retirar outros itens de linha até consolidar o melhor cenário para a sua atuação. Esse olhar sobre a demanda do público gera uma visão estratégica do negócio.

Pensando diretamente no resultado financeiro, é importante destacar que o e-commerce permite que a indústria trabalhe com a margem de lucro embutida nos preços dos produtos. Ao eliminar os intermediários, a empresa incorpora ou trabalha de alguma outra forma com os percentuais que iam para os revendedores e distribuidores.

Portfólio de produtos

Quando falamos em e-commerce, uma das principais preocupações dos clientes é o acesso às informações dos produtos. Sem a possibilidade de verem pessoalmente os itens que pretendem comprar, muitas pessoas acabam ficando com medo de adquirir algo pela internet, preferindo buscar um meio físico.

Por isso, ao montar sua loja virtual e estruturar uma estratégia de comércio digital, a indústria precisa pensar na apresentação de sua oferta. Um completo portfólio eletrônico de produtos, integrado à sua plataforma de e-commerce na indústria, torna-se, então, uma excelente alternativa para suprir essa necessidade por informações, pois reúne todas as características técnicas e comerciais e de forma clara para as diferentes necessidades..

E quanto mais informações, melhor. A riqueza de dados é essencial para dar mais autonomia e confiança aos clientes, que podem fazer suas escolhas de maneira mais segura.

Prova disso é um estudo realizado em 2015 por um importante e-commerce de móveis. De acordo com o levantamento, 63% das compras realizadas na plataforma on-line foram assistidas, ou seja, tiverem algum tipo de apoio da empresa. Dos principais obstáculos para a finalização da compra, em primeiro lugar foi identificada a necessidade na obtenção de informações mais claras sobre o produto. Segundo o estudo, as dúvidas mais frequentes estão relacionadas a medidas, cores e materiais disponíveis na loja.

Imagine um cenário em que uma fabricante de pisos disponibilize informações claras sobre suas peças: tamanhos, opções de combinações, materiais utilizados, durabilidade, ambientes nos quais eles podem ser aplicados e produtos que podem ser utilizados na limpeza.

Todos esses dados são extremamente úteis e precisam ser especificados nos portfólio de produtos. Quanto menos dúvidas os clientes tiverem, melhor será o processo de venda. As empresas precisam ter isso como prioridade, ainda mais em mundo extremamente conectado como é o nosso atualmente.

Outros cuidados importantes

Além do catálogo, é importante tomar outros cuidados ao abrir um e-commerce na indústria. Confira:

Planejamento: essa palavra é fundamental. Antes de montar o e-commerce na indústria, analise suas possibilidades, necessidades e produtos e desenvolva um projeto que faça sentido para o seu negócio. Dentro disso, cuide também para não criar atritos com os parceiros do mercado off-line.

Plataforma: escolher a plataforma certa é um dos pontos mais delicados. Existem diversas opções no mercado, gratuitas ou pagas. Uma dica importante é optar por uma que esteja de acordo com suas expectativas, mas que também possa ser moldada ao longo do tempo. Com isso, seus projetos de expansão do site não ficarão estagnados por conta da escolha errada da tecnologia.

Pagamento: outro item importante diz respeito à forma como você vai receber os pagamentos em seu site. Uma das opções é contar com um intermediário, que tomará conta de todos os detalhes, incluindo ações contra fraudes. Outra alternativa são os gateways de pagamento, que prometem melhores conexões com as redes que administram os cartões.

Segurança: cuidar desse item é fundamental para atrair consumidores para o seu site. Invista em um sistema que proteja os dados de seus clientes.

Suporte: disponibilize ao consumidor uma maneira fácil e eficiente de ele se comunicar com sua empresa. Existem algumas alternativas de canais, como telefone, e-mail, redes sociais e até mesmo aplicativos.

Marketing: depois que seu site estiver devidamente montado, os consumidores precisam chegar até ele. E é aí que entra em ação o trabalho do marketing, que oferece algumas formas de chamar a atenção das pessoas, entre elas o conteúdo. Disponibilizar a elas informações úteis, que as ajudem no dia a dia e ainda estejam ligadas ao seu produto é uma ótima estratégia.

Depois de conferir todos esses itens essenciais para o sucesso da sua atuação on-line, está pronto para iniciar agora mesmo o planejamento para abrir seu e-commerce? Procure a Collabo! Contamos com soluções que podem ajudar você nesse processo, incluindo o Collabo Products, que trabalha com o portfólio de produtos da sua empresa. Conte com a gente!

Clique aqui e baixe grátis o e-book sobre as possibilidade do novo marketing na indústria