A importância de contar com um sistema para catálogo de produtos

Qual é o maior bem de uma indústria? Seus produtos, não é mesmo? É por meio deles que ela obtém sua receita. A resposta pode ser óbvia, mas serve para levantarmos uma questão, que está diretamente ligada ao método pelo qual sua empresa expõe os itens que fabrica. Trata-se da organização das informações e da apresentação delas para o público. Você já conta com um sistema para catálogo de produtos digital e moderno ou ainda trata os dados de maneira dispersa? Se o seu caso se encaixa na segunda opção, esse texto vai lhe ajudar.

A função de um sistema para catálogo de produtos é, por meio de soluções digitais, organizar todas as informações dos produtos oferecidos pela empresa de forma lógica e detalhada, apresentando todas as características de cada item. Isso inclui imagens, dimensões, funções, materiais utilizados, possíveis aplicações, durabilidade, especificações técnicas, diferenciais e uma série de outros dados.

Por isso, o catálogo de produtos não pode ser tratado como algo burocrático e que existe apenas por ser habitual fazê-lo, ou seja, como se fosse uma mera obrigação da empresa expor de alguma forma aquilo que produz. Pelo contrário, deve ter uma relevância estratégica dentro do negócio, pensada com base em planejamento.

Para entender melhor, basta você pensar que o portfólio de produtos funciona, em partes, como a vitrine de uma loja. A diferença é que, em vez de o cliente ter de procurar o vendedor para obter as informações adicionais, ele poderá acessá-las sozinho, buscando o que precisa de maneira muito mais ágil.

Para exemplificar, vamos imaginar um engenheiro que trabalha na obra de um cliente e busca peças para sistemas hidráulicos. Ele se depara com o site de uma empresa que fabrica esses produtos. O problema é que na página há apenas dados superficiais e genéricos, dizendo a área de atuação e exemplificando alguns produtos. Para que o profissional possa especificar o que precisa e fazer uma cotação, ele precisa entrar em contato por telefone ou mandar e-mail, o que pode levar algumas horas ou dias.

Agora, imagine se essa mesma empresa contasse com um sistema de para catálogo de produtos eletrônico e completo, contendo todas aquelas informações que citamos anteriormente. Seria muito mais fácil, não é mesmo? Ele poderia conferir sozinho se os itens oferecidos possuem as características que ele busca e, dependendo da solução, conseguiria até fazer a cotação. Tudo isso em muito menos tempo que na situação anterior.

A base tecnológica de um sistema para catálogo de produtos

Uma das grandes vantagens de um sistema para portfólio de produtos é a facilidade proporcionada pela tecnologia, que deixa o processo muito mais dinâmico e ágil, o que ajuda a geração de novos negócios. Basta a empresa procurar por soluções que contem com os aparatos mais adequados.

Tendo uma solução eletrônica, você pode editar, corrigir e atualizar quantas vezes for preciso as informações e modificar o layout sempre que for pertinente. Tudo a um custo menor do que aquele necessário para desenvolver toda uma nova tiragem de um material impresso, por exemplo.

Outro benefício é o de conseguir levantar indicadores. Demanda, lucratividade, impressões sobre os produtos e serviços e qualquer informação que antes poderia levar dias, semanas ou meses, pode ser apurada de maneira automática por um bom sistema. Lembre-se: conhecimento gera conhecimento e, com o que é gerado por um catálogo automático, os investimentos necessários podem ser feitos de maneira concentrada e eficiente.

Por meio da computação em nuvem, as informações de um sistema para catálogo de produtos podem ser acessadas de qualquer lugar e a qualquer momento, por meio de computadores e dispositivos móveis conectados à internet.

Essa facilidade da computação em nuvem ocorre porque, ao invés de armazenar os dados nos PCs ou em servidores locais, essas informações são alocadas em servidores remotos interligados com a infraestrutura da internet.

O sistema precisa ser inteligente

Um sistema para catálogo de produtos também pode ser inteligente. Isso porque, a partir dele é possível hierarquizar e categorizar as informações. A empresa consegue apresentar os produtos com base em vários critérios que ajudam no momento da busca: por famílias, por necessidade do usuário, por aplicação, por matéria-prima e outras categorias que possam surgir.

Um sistema inteligente também é capaz de armazenar informações dos clientes e proporcionar um atendimento personalizado. Além disso, cria-se um histórico que contribui para uma melhor relação com esses usuários.

Essa grande quantidade de informação abre ainda uma porta para trabalhar a gestão do conhecimento. Todos os dados compartilhados ajudam a empresa a educar os clientes, mostrando as maneiras corretas de utilizar a aplicação e melhorar ainda mais o aproveitamento da ferramenta.

Aposta no social

Também com a ajuda da tecnologia, um sistema para catálogo de produtos abre caminho para o conceito de social supply chain, que, na prática, promove a interação entre todos os membros de uma cadeia de suprimentos. Isso faz com que as pessoas passem a receber muito mais atenção no processo de interação das empresas de diferentes níveis da cadeia de suprimentos. Assim, o que antes era considerado tipicamente mecânico e automático, agora coloca as relações humanas em foco.

Isso acontece por meio da análise dos dados gerados pelos participantes de diversos setores em relação ao portfólio disponibilizado pelas empresas. A colaboração, portanto, é centrada nos portfólios, a partir dos quais as pessoas geram informações para os diferentes setores: fornecedor, indústria, distribuidor, revenda e consumidor.

Para que isso aconteça, utilizam-se ferramentas e conceitos típicos das redes sociais, permitindo que os participantes deixem comentários, impressões e avaliações sobre o catálogo, por exemplo.

A análise desses dados pode identificar uma demanda suficiente para que a indústria desenvolva um novo produto que atenda às necessidades especificadas, além de aprimorar o catálogo com as sugestões deixadas.

Outras possíveis informações a serem obtidas dizem respeito às matérias-primas utilizadas, se estão adequadas para as funções do produto e à quantidade de mercadoria em estoque, se é suficiente ou necessária, por exemplo.

Diante de tudo isso, ficou interessado em colocar a sua indústria em um novo momento de relacionamento com todo o público que interage com ela? Quer começar agora mesmo a utilizar um sistema para portfólio de produtos? Conheça a Collabo. Nós temos as soluções ideais para ajudar sua indústria a apresentar o que ela tem mais de valioso. Conte com a gente!

Clique aqui e baixe o infográfico sobre como montar um catálogo