Sistema de compras: uma solução para as indústrias venderem mais

Na dinâmica da cadeia de suprimentos, existem dois lados que precisam estar em extrema sintonia para que os resultados sejam alcançados: o setor de vendas dos fornecedores e o time de compras de revendas e outros canais de distribuição. É por isso, então, que a responsabilidade da indústria neste contexto está em criar um sistema de compras que promova um efetivo alinhamento entre as partes, deixando todos os agentes em igualdade no processo de comunicação.

Em muitos casos, essa falta de alinhamento não é causada por problemas de qualidade dos produtos, mas pela ausência de informações qualificadas e bem estruturadas do portfólio disponível. Assim, as revendas acabam não encontrando o que precisam ou não conseguem visualizar o devido valor de determinados itens.

Vamos imaginar uma situação em que uma empresa de varejo focada em produtos de cerâmica precise repor o estoque e o setor de compras se depara com uma fabricante de louças. Mas no site dessa empresa existem apenas informações genéricas, algumas imagens de produtos e poucos dados realmente importantes. O portfólio mesmo está exposto apenas em um catálogo impresso pouco distribuído. São diversas barreiras impostas nessa relação, não é mesmo?

Agora, pense em uma situação mais relacionada com o dia a dia. O especificador técnico de uma pequena construtora se depara com a necessidade de uma peça que não estava prevista anteriormente. Na busca pelo material, ele encontra o site de uma empresa e tem o mesmo problema do exemplo anterior. A diferença é que, nesse caso, a urgência é muito maior.

Bom, mas aí você questionar sobre a possibilidade de as revendas ligarem em busca das informações, mandarem e-mail ou irem até a sede da empresa. Claro que essas são alternativas, mas é preciso entender que o mundo mudou e está mais dinâmico, exigindo que processos como esse também sejam tratados de maneira mais ágil. O portfólio precisa ser um recurso alinhado com o momento em que vivemos.

A necessidade de um sistema de compras que ofereça informações

Essa agilidade dentro de um sistema de compras da qual falamos passa, então, pela oferta sistemática, organizada e precisa de informações sobre os produtos. Permitir que os profissionais responsáveis pelo setor de compras encontrem o que precisam de forma rápida e com dados que facilitem a tomada de decisão é o principal caminho na busca por competitividade.

E aí entra a função da web e suas ferramentas como plataforma principal para oferta de conteúdo. Por meio da internet, é possível ganhar em agilidade, visibilidade e ainda contar com informações sempre atualizadas e precisas.

Uma das formas de fazer isso é com o uso de um catálogo eletrônico de produtos. Por meio dele, a empresa disponibiliza em uma plataforma digital as características, qualidades, preços, materiais relacionados e tudo o mais que pode ter relação com com o produto. Assim, eles podem ser atualizados como e quando for necessário.

Por estarem plataforma baseada em computação na nuvem, os dados dos produtos podem ser acessados de qualquer lugar e a qualquer momento. Basta o profissional ter acesso a um computador ou dispositivo móvel conectado à internet.

A aproximação com os clientes é imediata dentro de um sistema de compras. Seja o negócio B2B (empresa para empresa) ou B2C (empresa para consumidor), as ferramentas digitais permitem o uso de retornos imediatos tanto na questão da retirada de dúvidas e da troca de informações quanto nas reações ligadas à qualidade dos produtos e possíveis orientações para melhorias.

Demanda, lucratividade, impressões sobre os produtos e qualquer informação que antes poderia levar dias, semanas ou meses pode ser levantada de maneira automática por um bom sistema. Conhecimento gera conhecimento e, com o que é gerado por um catálogo automático, os investimentos necessários podem ser feitos de maneira concentrada e eficiente.

O catálogo precisa ser inteligente

Apesar dessas funcionalidades, sozinhas elas não garantem o fechamento do negócio. Ainda mais diante de mercados competitivos. Isso porque não basta o catálogo ser eletrônico, ele deve ser inteligente.

Para ser inteligente, o catálogo deve ser rico em informações, fornecendo todos os dados sobre o produto. Essas características, aliadas a um bom sistema, que seja intuitivo e de fácil acesso, faz toda a diferença, pois facilitam a busca. Em um momento de urgência, o cliente valorizará a empresa que oferecer a ele uma solução rápida e eficiente.

Com um catálogo inteligente, é possível, por exemplo, hierarquizar e categorizar as informações. Os produtos podem ser apresentados a partir de vários critérios que ajudam no momento da busca: por famílias, por necessidade do usuário, por aplicação, por matéria-prima e outras categorias que possam surgir.

Diante de tudo o que falamos, precisamos lembrar que essa realidade está batendo na porta. Então, comece agora mesmo a estudar a implementação de um catálogo eletrônico na sua empresa. A Collabo tem a solução certa para o seu negócio. Conte com a gente!

Clique e baixe o e-book sobre social supply chain