As vantagens do BIM na relação com clientes e fornecedores

O aumento na previsibilidade da necessidade de materiais proporcionada pelo BIM também ajuda a melhorar a comunicação com os fornecedores. Quando o construtor sabe exatamente do que precisa e consegue antecipar isso da melhor maneira, as empresas que produzem a matéria-prima também se beneficiam.

Em parte, isso acontece porque os fornecedores conseguem acompanhar de maneira muito mais precisa o ciclo de vida do produto. Assim, a logística fica muito mais rápida e barata, pois a empresa consegue se planejar e se programar com antecedência às demandas da construtora. Dificilmente chegará um pedido extra e urgente de algum material.

Como consequência disso, a produtividade também melhora. O fornecedor tem um controle muito maior e pode fazer um planejamento mais preciso da produção, conseguindo encaixar outros projetos na programação, tendo em vista que o cliente já sabe o que precisa e antecipa as demandas de maneira mais exata. Há aí também uma redução do tempo ocioso e do desperdício.

Olhando para uma área mais específica, de produção customizada ㅡ que produz os pré-fabricados, como esquadrias e coberturas ㅡ é um grande exemplo dos benefícios do BIM para os fornecedores. Com a visão geral do projeto e a integração entre concepção da obra e execução, as empresas desse segmento também conseguem ser mais precisas, o que acaba resultando em custos menores de produção.

A percepção da qualidade pelo cliente final com o BIM

Na ponta final desse processo está o cliente final ou o cidadão, como no caso das obras públicas. Por um lado, ele terá o benefício de saber quando exatamente as obras serão entregues, seja ele uma casa, seja um hospital ou uma escola. As incertezas caem de maneira significativa.

Vamos pensar em um exemplo do cotidiano. Muitas pessoas compram um apartamento na planta e, com a data estabelecida pela construtora, planejam-se para fazer mudanças ou alugar os imóveis. O problema é que, frequentemente, o tempo de conclusão não é cumprido. A entrega das chaves costuma atrasar em muitos empreendimentos. Em uns mais e, em outros, menos.

Com o BIM e a maior facilidade de prever os prazos que citamos anteriormente, esses casos diminuiriam e menos pessoas precisariam enfrentar esses problemas de atrasos. Por sua vez, os custos de execução da obra também seriam menores, o que, em certa medida, poderia acabar refletindo nos preços.

No caso das obras públicas, estamos falando de hospitais, escolas, pontes, estradas e viadutos entregues de maneira mais eficaz para a sociedade. Pais que precisam matricular seus filhos poderiam se planejar melhor, por exemplo. O transtorno no trânsito acabaria mais rápido, o gargalo no sistema de saúde seria mais rapidamente resolvido, entre outros benefícios.

Por fim e não menos importante, é imprescindível falarmos da manutenção. Como oferece uma visão de todo o ciclo de vida de uma obra, o BIM proporciona mais qualidade e também o planejamento das manutenções, como o período em que elas serão necessárias.

Em um condomínio residencial, por exemplo, os moradores podem colocar de maneira antecipada no orçamento os custos com esses ajustes. Da mesma maneira, isso também serve para os órgãos públicos, que conseguem, assim, fazer previsões orçamentárias mais precisas.

Com tudo que falamos aqui, fica clara a necessidade de a construção civil se adaptar à tecnologia. São muitos os benefícios para a sociedade e para o mercado. No próximo texto, vamos falar sobre os ganhos comerciais, ou seja, na hora de vender o produto. Continue acessando a página, acompanhe nossa série e saiba o que o BIM representa.

Clique aqui e baixe o e-book sobre BIM