O futuro promissor que se abre para o BIM

No texto anterior, nós apresentamos o conceito de BIM. Agora chegou a hora de falar do futuro, que, como não poderia ser diferente, é muito promissor. Somado às vantagens, um dos fatos que mais colaboram para isso é a velocidade na qual a tecnologia avança, com novas possibilidades surgindo a cada dia, além de todo o incentivo que é dado por empresas e governos de todo o mundo.

Outro fator que torna o BIM algo bastante viável é a facilidade com a qual ele pode ser absorvido pelos profissionais. Isso porque uma parte desse público já passou pela mudança da prancheta para o computador e está acostumada com esse ambiente. Dessa forma, não terá grandes dificuldades para se adaptar ao conceito.

Já a outra parcela do público está se formando na era digital e cresce adaptada a essas novas tecnologias. Esses profissionais, portanto, terão muita facilidade em utilizar os softwares de BIM no dia a dia das construções.

No Brasil ainda existem algumas iniciativas que mostram como o BIM pode começar a ganhar mais terreno no país. Entre elas está a publicação de novas normas técnicas, a criação dos guias BIM da Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI) e o lançamento da versão em português do BIM Dictionary.

A adaptação dos profissionais ao BIM

A tecnologia de modelagem também abre uma porta para os profissionais da área de construção. Um exemplo disso é a função de gestor de BIM, que surge dentro das empresas e escritórios justamente a partir do crescimento e do interesse cada vez maior na implementação do conceito.

Ele tem a função de coordenar todos os trabalhos relacionados ao BIM, ajudando tanto na implementação quanto na manutenção dos processos, fazendo a ligação entre todos os outros profissionais. Além disso, esse cargo também tem no escopo o gerenciamento da parte tecnológica, cuidando, por exemplo, para que informações não se percam e o software não sofra com vírus e avarias. Enfim, é uma atuação completa e fundamental.

Para além disso, os profissionais com experiência e conhecimento nos processos do BIM também terão lugar privilegiado no mercado, sendo bastante requisitados pelas empresas. Isso se deve ao fato de que a mão de obra relacionada ao conceito ainda está em formação.

Para ajudar nisso, algumas faculdades já disponibilizam disciplinas relacionadas ao BIM em cursos de arquitetura e engenharia. O principal objetivo desse movimento é fazer com que os profissionais dessas e outras áreas ligadas à construção saiam da faculdade preparados para os avanços tecnológicos e tudo o que eles representam na rotina. Existe até mesmo uma certa aproximação com o setor de tecnologia da informação, que pode auxiliar muito nesse processo.

No Brasil, um dos exemplos é o da Escola Politécnica da Universidade de São Paulo, a Poli-USP. A disciplina de Introdução ao Projeto na Engenharia, oferecida no segundo período do curso de Engenharia Civil, passa conceitos básicos de BIM e ensina os alunos a fazerem a leitura de projetos. Esse momento serve como uma preparação para as próximas disciplinas.

O núcleo responsável pela disciplina ainda atua na orientação de alunos de mestrado e doutorado, além de trabalhar em outras frentes, como dentro da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT).

Quando essa realidade chega na prática, no dia a dia de trabalho, existem relatos de escritórios de arquitetura afirmando que, no começo, a produtividade das equipes chega a diminuir, voltando ao normal ou aumentado quando os funcionários estão mais habituados com as ferramentas digitais.

O próximo texto falará sobre as principais vantagens do conceito, principalmente as que estão relacionadas ao tempo e aos custos do projeto. Continue nos acompanhando e não perca o restante do conteúdo.

Além disso, você pode comentar para tirar dúvidas e também ampliar o debate. Estamos ansiosos para ouvi-lo. O BIM é um assunto que merece ser tratado de forma séria e a partir das mais variadas formas. Conte com a gente!

Clique aqui e baixe o e-book sobre BIM